mulher-de-meia-idade-parecendo-seria-e-curiosa-ouvindo-tentando-ouvir-uma-conversa-secreta-ou-fofoca-espionando_1194-171327

O futuro no tratamento da surdez neurossensorial

Publicado por Fonaudio em 22 de fevereiro de 2021

A surdez tem uma elevada prevalência a nível mundial, sendo a neurossensorial a forma mais comum (neste tipo de perda auditiva, tons mais agudos podem soar de modo abafado, ou seja, fica difícil reconhecer palavras com ruído de fundo). Danos e perda de células ciliadas no ouvido interno são a causa mais frequente de perda auditiva neurossensorial, uma vez que as células ciliadas dos mamíferos não são repostas depois de perdidas.

Até o momento, o tratamento para esse tipo de surdez consiste em aparelhos auditivos ou implantes cocleares, mas ambas as opções restauram a audição com sucesso limitado e não são aplicadas em todos os casos. O estudo das vias de sinalização reguladoras da proliferação e função de vários tipos celulares cocleares tem permitido encontrar novos alvos para o tratamento da surdez.

Aparelho auditivo como tratamento para surdez neurossensorial (Reprodução/Freepik)

Com a evolução da tecnologia celular, um estudo feito nos Estados Unidos com a FX 322, tem prometido um novo tratamento para surdez neurossensorial em m futuro próximo. Esses estudos estão em busca do desenvolvimento de neurotrofias, medicamentos capazes de induzir a formação de células, no caso as ciliadas externas da cóclea, responsáveis pela amplificação dos sons, a partir de células progenitoras, ou seja, células “mãe” que podem se transformar quando estimuladas por alguma droga.A boa notícia é que já foram realizados os estudos pré clínicos, ou seja, estudo realizado em animais de experimentação, e com isso, conseguiram ótimos resultados. Também já foi realizado na fase I, ou seja, usado pela primeira vez em humanos. Esse estudo na fase I conseguiu um resultado de melhora do reconhecimento de fala em 30% dos pacientes, mesmo ainda sem melhora aparente nos audiogramas, contra 5% do grupo placebo.

Para finalizar, está prevista para esse ano, 2021, a fase 2 com 95 pacientes. O que nos resta é torcer e acompanhar esse estudo de perto, para que dê tudo certo e que novos tratamentos para a surdez neurossensorial sejam descobertos, sendo 100% comprovados,  para assim aplicarmos nos indivíduos que sofrem com essa doença!

Leia também

download

Perda auditiva x Demência

LER MAIS

a (2)

Zumbido no ouvido – Causas, prevenção e tratamento

LER MAIS

a (1)

Cuidado auditivo diretamente do conforto e segurança da sua casa

LER MAIS